Primeiras Impressões | Tower of God

A Crunchyroll é um dos serviços de streaming focados em animes mais populares da atualidade – se não for o mais popular. Depois de apostar em dublagens, a novidade da plataforma é o selo Crunchyroll Originals, que tem Tower of God como principal atração de abril de 2020. Baseado no webtoon sul-coreano de sucesso, escrito por SIU, a adaptação começou de forma promissora, tornando-se uma das principais estreias da temporada.

A história gira em torno de uma torre que é capaz de realizar os desejos da pessoa que chegar no topo – o que não é uma tarefa fácil, pois os perigos aumentam a cada andar. Rachel e Bam são dois amigos que vivem nessa torre, até que um dia a garota decide subir no topo por conta própria. Agora, o objetivo de Bam é reencontrá-la.

Uma das primeiras coisas que chama atenção nessa história é a dinâmica da torre e dos andares, que lembra muito jogos de videogame, onde a dificuldade aumenta a cada nível. A ideia não é novidade entre animações japonesas, levando em conta que Sword Art Online e DanMachi já apresentaram situações similares. Por outro lado, ela se difere por não ser exatamente uma dungeon onde se enfrentam monstros, e nem está diretamente relacionada a um jogo – pelo menos não é o que foi mostrado até agora.

Um dos principais atrativos dessa obra deveria ser o vínculo existente entre Rachel e Bam, porém, até o momento, ele não fica expresso na tela. Por mais que o anime tente vender a ideia de que os dois são amigos de longa data e possuem uma forte relação, a proposta ainda não convence. Isso dificulta a conexão do público com o protagonista, já que sua principal motivação é encontrar Rachel. Por outro lado, já fomos apresentados a muitos outros personagens interessantes, como o enigmático Headon, a princesa Yuri e seu companheiro Evan, que tiveram interações divertidas. Também podemos esperar uma boa variedade de espécies e criaturas, como adianta o fim do primeiro episódio.

Nessa estreia, a trama se encarrega de explicar diversos conceitos para o público, como o que são Pockets, Irregulares, e toda a mitologia por trás da história, que também lembra muito um jogo de videogame. O episódio foca no primeiro teste de Bam para ver se ele é digno da torre, mostrando que os desafios não dependem apenas de força física, como também algum tipo de raciocínio e estratégia. O ponto decepcionante é que o motivo do protagonista ganhar uma espada e controlar seu poder é simplesmente porque ele é bonito. E o pior é que não é uma piada.

O episódio termina na medida certa, com o gancho de um novo desafio para o personagem. É o suficiente para nos interessarmos pela história e instigar a curiosidade pelo que vem a seguir. Podemos esperar mais lutas e sequências violentas daqui para frente, já que o próximo andar funciona como um Battle Royale.

O estúdio responsável pela animação é o Telecom Animation Film, que adotou traços mais simplistas para a adaptação, onde os personagens não apresentam muitas variações de luz e sombra, com cores mais chapadas. Por outro lado, os monstros – ou pelo menos a Enguia Branca de Aço que aparece no primeiro episódio – conta com um visual mais elaborado e detalhista. Por fim, os cenários estão sempre se alterando, tirando a noção espacial dos personagens e do público, o que deve mudar quando o protagonista alcançar outros andares. Esse é um elemento que será interessante de acompanhar, já que não sabemos o que esperar, visualmente, daqui pra frente.

Tower of God começou com o pé direito, sendo uma das principais atrações entre animes de ação. O primeiro episódio ainda não entrega muita coisa, mas é o suficiente para empolgar o público pelo que vem a seguir. Talvez seja a melhor estreia até então, e espero que o nível de qualidade aumente conforme o protagonista avança.

Tower of God
3.5

Comentário do Crítico

A adaptação do webtoon sul-coreano é uma das principais estreias da temporada, preparando terreno para uma trama com muito potencial.

Sobre o Autor /

Formado em Cinema e Publicidade na PUC-Rio, colab do TechTudo, maquinista do Trem do Hype.

  • Primeiras Impressões | Princess Connect! Re:Dive | Trem do Hype
    2 anos ago

    […] e muito plurais, que devem dar uma boa movimentada na trama – o que lembra a estreia de Tower of God. Também já tivemos uma pequena amostra, por meio de um plot-twist, de que as coisas não são o […]

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search