Primeiras Impressões | Umamusume: Pretty Derby (2ª Temporada)

Em 2018, a série animada de Umamusume estreou chamando muita atenção, afinal, não é todo dia que é lançado um anime de corrida com garotas-cavalo. Em 2020, até foi exibida uma série de curtas de comédia com as personagens em visual chibi chamado Umayon, mas o que o público queria mesmo era uma segunda temporada – apesar que talvez ela não tenha chegado da maneira que todos esperávamos.

A primeira diferença que pode ser notada entre a primeira e a segunda temporada é a mudança de protagonista. Enquanto Special Week era a personagem principal no primeiro ano, desta vez o foco é Toukai Teiou – ou pelo menos é o que este episódio deu a entender. Por um lado, é um pouco triste ver que a antiga protagonista, que havia sido tão bem desenvolvida no ano anterior, com uma motivação forte e uma rival à altura, agora foi rebaixada para uma coadjuvante que quase não possui falas. A princípio, parece um desperdício de potencial, principalmente levando em conta o que foi construído até aqui. Por outro lado, também faz sentido essa troca.

Lembro que nas primeiras impressões da primeira temporada de Umamusume comentei sobre o belo design de personagens e a grande diversidade de garotas que poderiam ser desenvolvidas. A trama anterior acabou tendo destaque para Special Week, mas havia muita coisa para explorar sobre as outras corredoras. E, entre todas, Toukai Teiou é uma excelente opção nessa passada de bastão. A nova protagonista não só é carismática e esforçada, como também está no auge de sua carreira, perto de conseguir a Tríplice Coroa. É um momento bem importante na história, valendo a pena receber esse holofote.

O primeiro episódio falou muito sobre as diferentes gerações do anime e a relação entre fã e ídolo. Foi muito bonito ver, por exemplo, Teiou se espelhando em Rudolf quando era mais nova, enquanto, atualmente, ela é um exemplo para corredoras mais jovens. Inclusive, as duas garotas-cavalo crianças que aparecem nesse episódio devem se tornar personagens recorrentes principalmente para reforçar esse laço.

Durante a trama, a maior parte do tempo foi dedicado a mostrar o cotidiano das alunas no colégio Tracen, funcionando como uma maneira de nos reambientar nesse universo, mostrar todas as locações, as relações já estabelecidas, mas principalmente apresentar novas personagens, como Twin Turbo. Tudo isso lembrou bastante a dinâmica da primeira temporada e foi uma ótima forma de mostrar esse mundo pela perspectiva da nova protagonista.

De longe, o ponto mais negativo desse episódio foi a animação em si. Por exemplo, durante o treinamento do Time Spica e até da própria corrida principal há um péssimo uso de CGI, onde as personagens correm de maneira robótica, artificial e inexpressiva. Isso perde muito da dramaticidade e energia que as corridas pedem, ficando abaixo do trabalho da P.A. Works na primeira temporada. Dessa vez, o estúdio responsável é o Studio Kai (Mushikago no Cagaster), que não passou tanta confiança na estreia. Nesse primeiro episódio, apesar de incômodo, o problema foi apenas pontual, e espero que não seja tão frequente no decorrer da temporada.

A segunda metade do episódio focou na grande corrida de Teiou, onde ela disputou o Derby do Japão, conquistando a segunda da Tríplice Coroa. Apesar da disputa em si ter sido bem simples, superando todas as dificuldades e desvantagens sem muitos problemas, o ponto mais intrigante foi sua lesão, que deve ser o principal plot dessa temporada. A fratura em um momento tão crucial da sua carreira pode receber bastante foco daqui pra frente, mas ainda não sabemos como isso será abordado ou se cobrirá todos os episódios. Além disso, de acordo com os materiais promocionais, este segundo ano focará não só em Teiou, como também na sua rivalidade com McQueen, portanto, como anime esportivo, há um material muito rico para ser trabalhado.

Umamusume teve uma ótima primeira temporada, partindo de uma proposta inusitada, e agora aposta em uma nova perspectiva que pode deixar a trama ainda mais interessante. Aliás, um ponto que chama atenção é que até quem não assistiu à primeira pode começar por aqui, pois toda a dinâmica das corridas e como esse universo funciona é muito bem explicado, e a história é totalmente nova. Talvez os fãs de Special Week tenham ficado um pouco decepcionados, mas tudo indica que o novo ano pode ser ainda melhor, caso explore o drama esportivo que foi introduzido e o novo estúdio dê conta dessa maratona.

O anime está sendo exibido no Brasil pela Crunchyroll com legendas em português.

Umamusume: Pretty Derby (2ª Temporada)
3.5

Comentário do Crítico

O segundo ano possui uma trama com muito potencial e uma protagonista carismática no auge de sua carreira, mas a qualidade técnica deixa a desejar.

Sobre o Autor /

Formado em Cinema e Publicidade na PUC-Rio, colab do TechTudo, maquinista do Trem do Hype.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search