Crítica | O Livro de Boba Fett (1ª Temporada)

A segunda temporada de The Mandalorian foi uma das melhores produções de Star Wars nos últimos anos. Ela conseguiu entregar tudo o que prometia e ainda expandiu a franquia para diversos caminhos, incluindo a tão esperada série do Boba Fett. O personagem sempre foi uma figura muito querida pelos fãs, mesmo com sua breve participação na saga, então essa seria a chance de o conhecermos a fundo. Para Jon Favreau, um dos desafios era cumprir com a expectativa criada ao longo dos anos, só que, infelizmente, o protagonista se torna coadjuvante da sua própria série.

Um dos maiores mistérios de Star Wars era como Boba Fett poderia ter sobrevivido à queda no sarlacc em O Retorno do Jedi. Aqui não temos apenas essa resposta, como também soubemos o que aconteceu depois. Durante os quatro primeiros episódios acompanhamos o caçador de recompensas enfrentando seus primeiros desafios como o novo líder do sindicato do crime. As cenas do presente são intercaladas com flashbacks do tempo que passou com o Povo da Areia, até conseguir recuperar sua armadura. O problema desse segmento é sua condução morna e pouco convidativa, funcionando apenas de forma expositiva, pois não é possível imergir em nenhuma das duas histórias.

As coisas começam a engrenar apenas nos episódios seguintes, dirigidos por Bryce Dallas Howard e Dave Filoni, onde temos o retorno de Din Djarin e o núcleo de The Mandalorian. Não seria exagero dizer que há uma prévia da terceira temporada da produção aqui, assim como o personagem de Pedro Pascal rouba a série para si. É muito mais interessante acompanhar a dinâmica entre os mandalorianos ou o treinamento de Grogu do que as tensões por poder em Tatooine.

De certa forma, é como se a figura do caçador de recompensas badass que esteve por muito tempo no imaginário do público fosse passada do Boba Fett para Din Djarin. Além disso, a lenda que foi construída em torno do personagem era tão fora da realidade que dificilmente teria as expectativas atendidas.

Dito isso, O Livro de Boba Fett está longe de ser uma série ruim. Para começar, a produção mantém a qualidade técnica de The Mandalorian, como o design de produção, maquiagem, figurino e até uma trilha sonora marcante de Ludwig Göransson. Outra semelhança é a ligação direta com as animações de Dave Filoni, que entende muito sobre a saga e adiciona surpresas empolgantes. Aqui também senti ainda mais presente a pegada de faroeste, como nas tensões pré-duelo e os enquadramentos de cena, ressaltados pela ambientação de Tatooine. Por outro lado, as cenas de ação de forma geral estão abaixo do esperado.

No último episódio é legal vermos Din e Fett lutando juntos novamente, usando todas as suas cartas na manga, mas o confronto final, que estava sendo preparado durante toda a temporada, ainda fica aquém do esperado. O motivo pode ser a direção de Robert Rodriguez ou talvez apenas estejamos mal acostumados com The Mandalorian, que subiu a régua nos últimos anos.

Uma coisa certa é que os fãs de Boba Fett devem estar felizes pelo personagem finalmente ter o reconhecimento que construiu. Se não fosse pelo público, ele nem mesmo teria sobrevivido em O Retorno de Jedi e hoje não estaríamos discutindo sobre uma produção estrelada pelo mercenário. Apesar de não entregar a melhor produção possível dessa vez, ainda acredito que o futuro de Star Wars no Disney+ seja promissor, e temos muitos projetos a caminho.

O Livro de Boba Fett (1ª Temporada)
3

Comentário do Crítico

Mesmo mantendo a qualidade técnica de The Mandalorian, a obra não consegue cumprir com as expectativas, fazendo com que Boba Fett se torne coadjuvante da sua própria série.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search