Crítica | O Peso do Talento

Nicolas Cage é uma figura diferenciada em Hollywood. Ele é responsável por interpretar diversos personagens marcantes do cinema, principalmente durante os anos 1990, lhe rendendo até um Oscar. O ator transcendeu sua carreira graças ao seu carisma e intensidade, ficando conhecido pela entrega nos papéis e se tornando uma verdadeira lenda viva.

Graças a essa persona criada, a notícia de que ele estrelaria um filme interpretando a si mesmo foi uma grata surpresa, principalmente pelo nome do projeto ser O Peso Insuportável do Talento Maciço, ou simplesmente O Peso do Talento. Na trama, Nick aceita participar do aniversário de um fã fanático por US$ 1 milhão, mas precisa trabalhar com a CIA quando descobre que o aniversariante é um chefão do crime.

O projeto é escrito e dirigido por Tom Gormican, que possui pouca experiência, mas imagino que seja um grande fã do Nicolas Cage. A ideia do longa é excelente e, felizmente, também é muito bem executada, com ótimos twists ao longo da trama. Em uma mistura de comédia com ação, a produção nunca se leva a sério, colecionando momentos absurdos e divertidos.

Podemos dizer que O Peso do Talento é uma homenagem à carreira de Nick, fazendo menção a filmes como A Lenda do Tesouro Perdido, Con Air – A Rota da Fuga e Despedida em Las Vegas. Portanto, conhecer a filmografia do ator fará com que você aprecie ainda mais o longa. Os cinéfilos também ficarão satisfeitos pelo tributo que é feito aos mais de 100 anos do cinema. Além de críticas às fórmulas de Hollywood e paródias de clichês e convenções, aqui são lembrados clássicos da sétima arte, como o O Gabinete do Dr. Caligari, A Outra Face e As Aventuras de Paddington 2.

Sem dúvidas, Nicolas Cage nasceu para esse papel. Seu personagem vive vários dilemas envolvendo a vida de um astro do cinema, como o equilíbrio entre a família e o trabalho, a necessidade de pagar seus boletos e até mesmo conflitos internos. Os pontos abordados fazem referência à própria vida de Nick, dando mais autenticidade ao protagonista. Outro ponto forte é sua amizade com Javi (Pedro Pascal), que vai sendo construída aos poucos e é muito bonita e verdadeira. Os dois têm bastante química quando estão juntos em cena, sendo responsáveis pelos momentos mais engraçados da obra.

O Peso do Talento é aquele tipo de projeto que a gente não sabia que precisava até assistir. A capacidade de rir de si mesmo e o uso da metalinguagem fazem com que essa seja uma das melhores comédias do ano até o momento. Se você é fã do Nicolas Cage, vai adorar o filme. Se ainda não é, vai se tornar um depois de assistir.

O Peso do Talento
5

Comentário do Crítico

Com uma trama absurda e divertida, o longa não se leva a sério ao fazer uma bela homenagem à carreira de Nicolas Cage.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search