Primeiras Impressões | Invincible

Estamos em 2021 e o subgênero de super-heróis ainda é muito popular. Esse fato se deve, principalmente, por esse tipo de produção se reinventar constantemente – e não estou falando só de Marvel e DC, como também outros projetos, incluindo The Boys e o recente Invincible, ambos do Amazon Prime Video. A animação adulta é baseada na HQ de Robert Kirkman (The Walking Dead), publicada pela Image Comics. A história acompanha Mark Grayson, um adolescente que é filho do herói mais poderoso do planeta. Após desenvolver seus poderes, ele passa a receber treinamento do pai e começa a combater o crime.

À essa altura, uma das principais perguntas que nos vêm a cabeça quando é anunciada uma nova produção com essa temática é: “o que ela traz de novo?”. Uma das coisas que me chamou atenção nessa animação é a pegada mais realista sobre os super-heróis. Mesmo com habilidades especiais e uniformes coloridos, a série mantém o pé no chão para mostrar como seria o mundo caso esses seres existissem, até mesmo brincando com clichês, o que chega a lembrar The Boys.

A produção dedica boa parte do tempo em acompanhar o início da carreira de Mark como o herói Invincible, o que é bem interessante, pois é a partir dele que somos introduzidos nesse mundo. Ele passa por problemas que vão desde aprender a controlar os poderes até salvar pessoas, tarefas que não são tão fáceis ou intuitivas como vemos na televisão, como é falado na própria série.

O estilo da animação não é o maior destaque aqui, mas também não chega a incomodar. Ele lembra um pouco o que é feito nas produções da DC, incluindo o design dos personagens, onde até a principal equipe da obra é claramente inspirada na Liga da Justiça. Curiosamente, diferente de outras séries animadas, que contam com vinte e poucos minutos de duração por episódio, aqui temos o dobro, mas sem problemas com o ritmo. Isso resulta em mais tempo para desenvolver os personagens, com mais aprofundamento no lado humano de cada um.

A produção se beneficia da alta classificação indicativa, e não poderia ser diferente levando em conta o nível elevado de violência. Em alguns momentos, sinto que cabe a discussão se a série tenta ser adulta e sangrenta apenas para se diferenciar e, principalmente, chocar o público, ou se há alguma justificativa maior por trás, que deve ficar mais clara com o decorrer dos episódios. De qualquer forma, apenas o fato dela ir por um caminho distinto já é muito bem-vindo e instiga o público o suficiente para continuar acompanhando.

Invincible teve uma estreia promissora e tem tudo pra ser a próxima grande produção do Amazon Prime Video. É uma nova visão sobre o subgênero de super-heróis, apresentada de forma mais crua e sem maniqueísmos, além de despertar curiosidade desde o início, apostando nas reviravoltas. É uma animação que deve agradar a todos os fãs da temática, principalmente aqueles que procuravam por algo que fugisse dos clichês.

Os três primeiros episódios de Invincible estão disponíveis no Amazon Prime Video.

Invincible
4

Comentário do Crítico

A animação foge dos clichês de super-heróis, apostando em uma visão mais realista e fazendo valer alta classificação indicativa.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search