Primeiras Impressões | WandaVision

Depois de ficar um ano inteiro sem lançamentos, a Marvel Studios está de volta – e em grande estilo. Seu primeiro projeto de 2021 é WandaVision, uma série estrelada pelos personagens Wanda Maximoff e Visão, com uma proposta ousada e diferente de tudo que já foi feito pelo estúdio. Sua estreia com episódio duplo mostrou como será a vibe da produção, que homenageia o gênero sitcom ao longo das décadas.

A trama se passa após os eventos de Vingadores: Guerra Infinita e Ultimato, onde Wanda tenta lidar com o luto da morte de Visão criando uma realidade onde ele ainda está vivo. A adaptação dessa forma faz todo o sentido, já que estamos falando de um seriado que replica convenções de sitcoms. O formato é perfeito para o Disney+, pois possui o tempo de duração das produções da época e traz de volta a rotina de acompanharmos episódios semanalmente, além de poder ser assistido na televisão. Por isso, talvez o projeto não funcionaria como um longa-metragem para os cinemas.

Nesses dois primeiros episódios, podemos perceber inspirações dos anos 1950 e 1960, como I Love Lucy, A Feiticeira e Jeannie é um Gênio. A sensação que temos é de que realmente estamos assistindo a uma série daquela época e foi pensado em todos os detalhes para que isso funcionasse. Temos a risada da plateia ao fundo, a fotografia em preto e branco, o áudio com a qualidade da época, o cenário e o figurino característicos, o aspect ratio em 4:3, a trilha sonora, os efeitos práticos e tem até comerciais!

O mais legal dessa trama é que acompanhamos Wanda e Visão com suas habilidades já conhecidas tentando se enquadrar como um casal comum, e só essa premissa já é interessante por si só. A série funciona como uma sitcom graças à atuação de Elizabeth Olsen e Paul Bettany, que estão divertidos e possuem muita química juntos. Ainda vale destacar a vizinha enxerida Agnes (Kathryn Hahn).

Como se não bastasse, a produção vai além das homenagens e referências ao gênero, apresentando também uma dose de mistério e um flerte com o terror para mostrar que nada é o que parece, chegando a lembrar um pouco O Show de Truman. Curiosamente, até mesmo os diálogos entre os personagens possuem duplos sentidos sobre o que é realidade e ficção e, até o momento, não temos total certeza do que está acontecendo.

Também é interessante o fato de que a produção vai compreender a história da televisão entre os anos 1950 e 2000, sendo que os dois primeiros episódios só abordaram a era em preto e branco. Daqui pra frente, não fica claro o que podemos esperar ou como a trama vai se desenvolver, nos presenteando com uma surpresa a cada semana, pois todos os capítulos são “temáticos”.

WandaVision talvez seja o projeto mais diferente que a Marvel Studios fez até o momento, sendo uma ótimo jeito de começar o ano e um retorno da melhor maneira possível. A proposta é muito bem-vinda para produções de super-heróis, trazendo frescor na temática e na estética, além de mostrar que o gênero não está saturado. Como sabemos tanto quanto os próprios personagens, vai ser interessante acompanhar a série semanalmente, discutindo teorias e referências que estão por vir.

WandaVision está disponível no Disney+.

WandaVision
5

Comentário do Crítico

O projeto é uma homenagem a sitcoms, trazendo frescor às produções da Marvel Studios, tanto na estética quanto na temática.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search