Crítica | Entrevista com Deus

Mesmo que vivamos em um país teoricamente laico, ainda existe muito preconceito com relação à religião do outro. Assim, filmes com temáticas religiosas são difíceis de agradar a todos os públicos. Isso acontece pela maioria se pautar em conceitos relacionados à uma única religião, dificultando a conexão dos seguidores de outras crenças. No caso de Entrevista com Deus acontece justamente o contrário: para que a mensagem seja devidamente transmitida, o longa consegue trazer temas e conceitos bastante universais que facilmente atingem a mente e o coração de qualquer espectador.

Na trama, Paul (Brenton Thwaites) é um jornalista ambicioso em busca de sucesso profissional, através de alguma grande matéria. Depois de uma extensa procura, ele topa de frente com um homem que pode lhe dar a melhor entrevista de vida: ele diz ser Deus e promete responder a qualquer pergunta de Paul em uma conversa única.

A Bíblia é a grande base do roteiro. Não há nenhum problema nisso, mas a decisão de trazer em seus diálogos discussões que qualquer pessoa pode refletir se mostra acertada. E por mais que o tom moral e os clichês do gênero estejam presentes à todo momento, o recado levado é positivo e necessário para os tempos sombrios que vivemos hoje em dia.

Apesar de conduzido de forma leve, Entrevista com Deus apresenta toques de suspense. Mas esse tom não é bem sustentado, sem conseguir concluir e explicar o motivo para tal escolha. O tormento que Paul vive em relação à guerra cria expectativas que não são totalmente esclarecidas. O longa está cheio de metáforas e pistas colocadas em praticamente todas as cenas, exigindo ao público bastante atenção para entender o significado da história. Algumas surpresas inseridas só reforçam o quanto tudo depende de nossas atitudes e do nosso olhar sobre o próximo. A reviravolta relacionada à personagem Grace (Charlbi Dean Kriek) esclarece perfeitamente isso.

Deus é retratado como uma figura misteriosa e irônica, resultando em algumas boas risadas. David Strathairn está ótimo no papel, mostrando um olhar sereno e um instinto de proteção com o personagem de Brenton Thwaites, que também traz uma boa interpretação. Os atores tem química em cena, trazendo excelentes discussões. Destaque também para Hill Harper como o chefe Gary.

Entrevista com Deus traz erros e acertos, mas uma intensa reflexão sobre vida e mundo. Ele emociona e diverte em vários momentos, mesmo que não seja bem equilibrado. Ao final, ele se torna um filme com uma bela mensagem para todos que assistirem.

Entrevista com Deus
3

Comentário do Crítico

Entrevista com Deus traz uma intensa reflexão sobre vida e mundo, apesar de não conseguir equilibrar o tom e construir bem seus personagens. Destaque para a ótima e serena interpretação de David Strathairn, trazendo boas discussões com o personagem de Brenton Thwaites. Um filme com uma bela mensagem para todos que assistirem.

Sobre o Autor /

Um designer geek, cinéfilo de carteirinha, louco por livros e grande fã de Turma da Mônica e Mauricio de Sousa.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search