Mulan | As principais diferenças entre a animação e o live-action

A versão live-action de Mulan ainda não chegou aos cinemas, mas já sabemos que ele será bem diferente da animação original. Acompanhando entrevistas com a equipe do longa, além de elementos dos trailers, já sabemos que a produção será mais realista e fiel à cultura chinesa. Pensando nisso, separamos abaixo uma lista com as principais mudanças:

1. Mushu

Uma das principais ausências do longa é Mushu, o dragão dublado por Eddie Murphy. Em entrevista ao Digital Spy, a diretora Niki Caro revelou que não houve intenção de criar uma nova versão do personagem:

“Acho que todos podemos concordar que Mushu é insubstituível. Você sabe, a animação clássica se destaca por conta própria. Nesse filme, há um representante da criatura – uma representação espiritual dos ancestrais, e mais particularmente do relacionamento de Mulan com o pai. Mas uma atualização de Mushu? Não.”

O papel de mascote pode ser representado através de uma fênix, como é visto no pôster internacional:

2. Shan-Yu

Enquanto a animação original tinha Shan-Yu como principal vilão, desta vez a antagonista será a bruxa Xian Lang (Gong Li). Nos trailers, ela já mostrou a habilidade de se transformar em uma águia. Outra ameaça será Bori Khan (Jason Scott Lee), que ocupa a função de líder do exército Huno, mas com uma nova motivação: vingar seu pai.

3. Li Shang

Outra mudança é a ausência de Li Shang, o interesse amoroso da protagonista. Em entrevista ao Collider, o produtor Jason Reed explicou que ele ainda estará presente, mas de forma diferente:

“Dividimos Li Shang em dois personagens. Um deles se tornou o comandante Tung (Donnie Yen), que serve como seu pai e mentor substituto no decorrer do filme. O outro é Honghui (Yoson An), que é igual a [Mulan] no esquadrão. Acho que, particularmente na época do movimento #MeToo, ter um oficial comandante que também é o interesse amoroso era muito desconfortável e não achamos apropriado.”

4. Beijo

Ainda sobre Li Shang, um momento marcante do personagem é o beijo no final. Inicialmente, a cena estava presente no filme, mas foi retirada de todas as versões após um teste com o público chinês e os executivos locais do estúdio. Em entrevista ao THR, a diretora Niki Caro revelou que isso foi feito para agradar o governo da China:

“Foi muito bonito o beijo, mas o governo da China disse: ‘Não, não pode. Não parece correto para o público chinês’. Então nós obedecemos”

5. Corte de cabelo

Outro momento clássico da animação de 1998 é quando Mulan corta o cabelo para lutar na guerra no lugar do pai. A cena ficou de fora na versão live-action. Em entrevista ao Slash Film, o produtor Jason Reed explicou o motivo:

“Na animação da Disney, a cena em que ela está cortando o cabelo, na verdade é um anacronismo. Então, guerreiros chineses, guerreiros homens usavam cabelos compridos. Os chineses usavam cabelos compridos. Para ela cortar o cabelo, isso a faria parecer mais uma mulher do que menos uma mulher na realidade. Como estamos fazendo a versão live action, porque estamos olhando para o mercado mundial, pensamos que deveríamos trazer esse nível de precisão cultural para ela.”

Mesmo que a personagem não corte seu cabelo, Reed mencionou que há uma diferença no visual de Mulan antes e depois dela entrar para o exército:

“Quando a vemos pela primeira vez no filme, como uma simples garota da vila, seu cabelo está para trás, mas caído (em um rabo de cavalo). Ela é muito tradicional. Quando ela entra no exército, ela tem que usar os cabelos para cima, como todos os homens, para que ela se misture e se pareça com todo mundo. E então, antes de entrar nessa cena, ela percebe que, para ajudar seus camaradas e cumprir seu dever, ela também precisa ser fiel a si mesma e, em parte, é como nós a vemos, seus cabelos caem, estão voando ao vento, ela é totalmente incrível. E é assim que tentamos imitar visualmente a temática da história também.”

6. Musical

Outra ausência muito comentada pelos fãs são as músicas clássicas, já que o remake não será um musical. Em entrevista ao Digital Spy, a diretora Niki Caro justificou priorizando o realismo:

“Quero dizer, voltando à questão do realismo – não cantamos quando entramos em guerra. Não que eu esteja dizendo algo contra a animação. As músicas são brilhantes e, se eu pudesse colocá-las lá, eu faria. Mas honramos a trilha sonora da animação de uma maneira muito significativa. Eu acho que essa é a coisa mais importante para mim em fazer – refazer – um título icônico como Mulan em live-action. É o fato de que pode ser real, e é uma história real de uma garota indo para a guerra.”

Isso não quer dizer que o filme não terá músicas. A cantora Christina Aguilera inclusive será a responsável por interpretar a nova canção tema da protagonista. Ouça abaixo:

live-action de Mulan será dirigido por Niki Caro e escrito por Rick Jaffa e Amanda Silver. O longa é estrelado pela atriz chinesa Liu Yifei.

Mulan estreia no dia 26 de março de 2020, nos cinemas brasileiros.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search