Os melhores filmes de 2020

2020 foi um ano bem complicado para os cinemas, que ficaram a maior parte do tempo fechados por conta da pandemia de COVID-19. Porém, isso não impossibilitou o lançamento de ótimos filmes, que chegaram, em sua maioria no streaming. Abaixo, segue a lista com os 10 melhores longa-metragens do ano – e uma menção honrosa para Hamilton. Não é um ranking seguindo uma ordem de qualidade, apenas de lançamento, e trata-se de uma lista pessoal. Portanto, fique à vontade para comentar também a sua lista de melhores do ano.

1917 (23/01)

Direção: Sam Mendes

O longa de Sam Mendes é uma experiência cinematográfica incrível e marcante. Ele tem como um dos grandes méritos a qualidade técnica, incluindo a fotografia de Roger Deakins e a filmagem que emula um longo plano-sequência. Um projeto ousado com um resultado de encher os olhos.

Jojo Rabbit (06/02)

Direção: Taika Waititi

O cineasta Taika Waititi já entregou ótimos longas durante sua carreira e Jojo Rabbit é mais uma de suas obras-primas. O filme encontra equílibrio entre o drama histórico e o humor satírico sobre a Alemanha nazista a partir da visão de uma criança, tratando de temas importantes e relevantes com muito coração.

O Homem Invisível (27/02)

Direção: Leigh Whannell

O longa de Whannell é um dos melhores suspenses do ano e uma excelente maneira de recontar a história do clássico da Universal. Além da criatividade de relacionar a trama com relacionamentos abusivos, o destaque também vai para a atuação impressionante de Elisabeth Moss.

Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica (05/03)

Direção: Dan Scanlon

A Pixar mais uma vez entregou um excelente longa animado, desta vez inovando ao explorar o universo da fantasia de uma maneira que só o estúdio consegue, fugindo do óbvio. A trama é divertida e muito emocionante, criada a partir da experiência pessoal de Scanlon, e por isso é tão intimista.

Destacamento Blood (12/06)

Direção: Spike Lee

Spike Lee nos presenteou com mais um filme excelente, dessa vez explorando a guerra do Vietnã, um tema já batido em Hollywood, só que de uma forma diferente. Destaque para as atuações, um rico contexto histórico e a sensibilidade do cineasta.

Hamilton (03/07)

Direção: Thomas Kail

Hamilton é uma daquelas obras que se tornam um marco na história e vão ser lembradas daqui há muito tempo. O projeto de Lin-Manuel Miranda conta com muitos méritos, contando a história de um imigrante por imigrantes. A trama possui momentos emocionantes, descontraídos e ainda possui uma certa modernidade, dando uma personalidade muito marcante. E, claro, como musical, Hamilton é uma obra-prima, devendo ser assistida por todos os fãs do gênero.

Os 7 de Chicago (16/10)

Direção: Aaron Sorkin

A produção alia a direção e o roteiro do talentoso Aaron Sorkin com um elenco de peso que entrega atuações excelentes em uma trama relevante e atual. O projeto faz um ótimo trabalho em contar um drama de tribunal de maneira dinâmica, com momentos impactantes, ótimos diálogos e tem tudo para aparecer nas premiações.

Borat: Fita de Cinema Seguinte (23/10)

Direção: Jason Woliner

A sequência de Borat foi uma grata surpresa para o ano de 2020 e um dos filmes que chegou no melhor timing. Lançado em plena pandemia e em tempo para as eleições presidenciais americanas, o longa aborda temas atuais com o humor característico de Sasha Baron Cohen. Ele vai além do que foi apresentado no primeiro filme, com bastante vergonha alheia e “pegadinhas” ainda mais ousadas.

Tenet (29/10)

Direção: Christopher Nolan

Tenet é uma das melhores experiências cinematográficas de 2020, levando o talento de Nolan a um novo nível. A trama complexa e instigante possui sequências de ação grandiosas, inventivas e impressionantes, com uso de efeitos práticos e uma excelente qualidade técnica.

A Voz Suprema do Blues (18/12)

Direção: George C. Wolfe

Baseado na peça de August Wilson, a produção é uma celebração à vida de Ma Rainey, com destaque para as atuações – principalmente de Viola Davis e Chadwick Boseman. Ainda vale mencionar o excelente trabalho de recriação da época, incluindo design de produção, figurino, maquiagem, fotografia, além da excelente trilha sonora.

Soul (25/12)

Direção: Pete Docter e Kemp Powers

A Pixar aparece mais uma vez na lista pelo seu projeto mais ambicioso do ano, que tem como premissa explorar a vida após a morte. O longa é tecnicamente primoroso, com destaque para a bela fotografia, um criativo design de personagens e uma trilha sonora que é um prato cheio para os fãs de jazz.

Sobre o Autor /

Formado em Cinema e Publicidade na PUC-Rio, colab do TechTudo, maquinista do Trem do Hype.

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search