Oscar 2018 | Análise dos indicados

Com o OSCAR chegando neste domingo, em um ano verdadeiramente excepcional para o cinema, temos aqui uma análise dos candidatos e favoritos em cada uma das principais categorias. Como sabemos, o OSCAR não está acima de ser influenciado por fatores como política e pressão popular. Isso já levou a diversos anos em que os candidatos estavam lá, não apenas por mérito, mas sim por alguma questão externa. 2017 não foi isento disso, então vamos conferir aqui, quem está lá, quem pode ganhar e porquê.

Melhor Ator

Na categoria de Melhor Ator, temos uma seleção de 5 indivíduos que variam entre a velha e a nova guarda de Hollywood. Entre eles estão Denzel Washington e Daniel Day-Lewis, duas figuras adoradas pela Academia, Gary Oldman e dois atores relativamente novos no cenário Hollywoodiano: Timothée Chalamet (começando este ano e estrelando também em Lady Bird) e Daniel Kaluuya.

Tanto o personagem de Chalamet quanto de Kaluuya abordam questões polêmicas, como o descobrimento sexual e problemas raciais nos EUA, o que pode trazer vantagens e desvantagens na hora da votação. No entanto, Corra, filme de Kaluuya, lançou no começo do ano passado, o que o prejudica. Chalamet, por sua vez, é considerado por muitos como muito novo, estando também em sua primeira indicação, o que torna suas chances baixas.

No caso de Denzel, embora sua atuação tenha sido particularmente elogiada, seu filme, Roman J Israel, Esqu. teve um lançamento extremamente limitado e não recebeu quase nenhum destaque, o que o coloca longe do pódio. Daniel Day-Lewis, embora um recordista na academia, não se destacou particularmente em seu papel, como fez em vitórias anteriores, como Gangues de Nova Iorque e Sangue Negro. Suas chances, no entanto, seriam as melhores, se não fosse por Gary Oldman.

A atuação de Gary Oldman como Winston Churchill ano passado em O Destino de Uma Nação foi altamente elogiada por críticos, mas nada acima dos demais concorrentes. No entanto, depois de uma carreira absolutamente excepcional, o fato de Oldman nunca ter ganhado um Oscar permanece como uma das grandes surpresas da indústria, algo que a Academia parece desejar mudar este ano. Esta suposta injustiça é o que tornou Oldman, diante da maior parte dos críticos, o grande favorito deste ano.

Previsão: Imensas chances de Gary Oldman, com Daniel Day-Lewis em segundo lugar e Daniel Kaluuya como uma possível grande surpresa.

Melhor Atriz

A categoria de Melhor Atriz está transbordando de talento este ano. Com figuras como Meryl Streep, sendo nomeada novamente, como acontece quase todo ano, e Saoirse Ronan se solidificando como uma das mais novas e talentosas atrizes no momento. Sally Hawkins ganhou seu lugar no filme de estrondoso sucesso crítico A Forma da Água, assim como Frances McDormand com Três Anúncios para um Crime. Margot Robbie também se posiciona em uma atuação que muitos consideram sendo a melhor de sua carreira.

Se o Oscar estivesse ocorrendo em outubro, ou até novembro, a ganhadora estaria garantida como Margot Robbie, que por muito tempo foi a favorita da corrida em seu papel titular em Eu, Tonya. No entanto, com o passar do tempo, ela perdeu seu momentum e agora está longe da posição.

A nomeação de Streep, por sua vez, parece ser puramente simbólica, com a atriz tendo alcançado um status singular na mecânica da Academia. Ela se tornou mais uma estatueta na categoria do que uma verdadeira concorrente, tendo sido nomeada 24 vezes ao longo de sua carreira.

Saoirse Ronan mostrou uma de suas melhores atuações e a jovem atriz irlandesa está mais que garantida em ter uma brilhante carreira pela frente. Sally Hawkins também se posiciona como uma figura a ser respeitada na corrida.

No entanto, não existe nenhuma categoria com favorito mais definido que este, com a vitória de Frances McDormand quase garantida diante da recepção universalmente positiva de sua atuação. A atriz, depois de uma grande carreira, parece ter entregue sua Magnum Opus, sua obra prima, e já tendo vencido em diversas outras categorias (como “Globo de Ouro”) ela se mostra já cruzando a linha de chegada.

Previsão: Frances McDormand, com Saoirse Ronan e Sally Hawkins empatadas em um distante, mas não obsoleto segundo lugar.

Melhor Ator Coadjuvante

Uma categoria consideravelmente mais divisiva, 2017 nos trouxe 5 grandes atuações, sem nenhuma nomeação simbólica e nenhum grande favorito. Tanto Woody Harrelson quanto Sam Rockwell estão concorrendo pelo mesmo filme Três Anúncios para um Crime, enquanto Richard Jenkins concorre por A Forma da Água, Willem Dafoe pelo Projeto Florida e Christopher Plummer por Todo Dinheiro do Mundo, tendo substituído Kevin Spacey e filmado todas as suas cenas em cerca de 3 semanas.

Sam Rockwell é o claro favorito, fruto de sua interpretação absolutamente bem recebida de um policial racista. O ator já ganhou diversos outros prêmios pelo papel, considerado o seu melhor em uma filmografia drasticamente variada. No entanto, existem aqueles que apontam para o fato de que um indivíduo receber o Oscar por interpretar uma figura racista na atual situação sócio-política dos EUA não passaria a mensagem correta. Se isso vai afetar suas chances de vencer, teremos que ver.

Todos os outros quatro concorrentes se apresentam com fortes chances, de maneira que fica difícil discernir um segundo ou terceiro lugar entre eles. Richard Jenkins parece estar levemente na frente dos demais, com alguns apontando para ele como uma opção menos polêmica para substituir Rockwell.

Previsão: Sam Rockwell, na liderança, mas sendo seguido por quatro oponentes, com Richard Jenkins com um pé na frente destes.

Melhor Atriz Coadjuvante

Uma categoria dominada por dois nomes, ambas interpretando rígidas mães. Allison Janney e Laurie Metcalf são as verdadeiras favoritas, por Eu, Tonya e Lady Bird respectivamente. Embora Janney esteja liderando na corrida por prêmios, Metcalf poderia facilmente ganhar a liderança e levar o Oscar para casa.

Mary J. Blige, Octavia Spencer e Lesley Manville também concorrem, todas envolvidas em filmes renomados criticamente. No entanto, embora suas atuações tenham todas sido bem recebidas, não parecem estar recebendo nem uma fração da atenção dedicada a Janney e Metcalf.

Previsão: Allison Janney, com Laurie Metcalf como outra forte possibilidade, e Mary J. Blige como uma possível surpresa.

Melhor Filme

Um ano historicamente forte para a principal categoria do Oscar, com quase todos os candidatos sendo extremamente bem recebidos pelo público e pelos críticos. É também um ano extremamente não convencional, já que os candidatos mais “classicamente” amados pela Academia se encontram como os menos prováveis ganhadores.

  • The Post é um desses casos. Embora bem recebido por críticos (contando com Meryl Streep, Tom Hanks, além de ser dirigido por Spielberg) é a opção mais fraca. Com seu elenco tradicionalmente amado pela Academia, e seu tema político, ele se pinta como uma clara “isca” para Oscar, sendo produzido com o único propósito de acumular estatuetas. Embora tenha tido sucesso em ser nomeado, não possui quase nenhuma chance de ganhar, sendo visto quase que universalmente como um produto cínico na indústria;
  • O Destino de uma Nação, com Oldman, embora certamente um ótimo filme histórico, também não se destaca como os demais concorrentes;
  • Dunkirk, novo filme de Christopher Nolan, se mostrou polêmico. Embora uma experiência cinematográfica singular, do tipo que o diretor gosta de produzir, foi criticado por muitos filmes por possuir uma narrativa objetivamente fraca;
  • Trama Fantasma, filme de Daniel Day-Lewis, embora bem aceito criticamente, falhou em atrair grande atenção na mídia, assim como impressionar o público. Lançou muito tarde também, o que pode danificar suas chances consideravelmente;
  • Lady Bird é certamente um dos favoritos, abordando a vida de uma adolescente em 2002, se deparando com a vida adulta. É um forte concorrente.
  • Me Chame Pelo Seu Nome, sobre um jovem na Itália nos anos 1980, descobrindo sua sexualidade. Foi extremamente bem recebido por críticos, embora tenha sido menos universalmente adorado pelo público. Ainda assim, um forte candidato.
  • Corra, um sucesso massivo que conseguiu se estabelecer em diversos gêneros, sendo chamado de suspense por alguns, e comédia por outros (incluindo o Globo de Ouro). O filme foi extremamente bem recebido pelo público, e sua abordagem da questão racial nos EUA pode ser uma grande vantagem no atual contexto político. No entanto, suas chances são extremamente danificadas por ter lançado em fevereiro, com a imensa maioria dos ganhadores e concorrentes historicamente lançando no final do ano.
  • A Forma da Água, junto com Três Anúncios para um Crime são os dois favoritos da categoria, se é que podemos afirmar que existem favoritos. Embora A Forma da Água tenha batido recordes com premiações, a maior parte dos críticos acredita que Três Anúncios terá a vitória. No entanto, o destino ainda não está escrito em pedra.

Previsão: Três Anúncios para um Crime levará a estatueta, sendo, da opinião deste critico, uma vitória merecida. A Forma da Água garante uma posição em segundo Lugar, oferecendo forte concorrência. Lady Bird e Me Chame Pelo Seu Nome permanecem empatados em terceiro, podendo facilmente agarrar a vitória sem nenhuma enorme surpresa. Corra, embora provavelmente tão aclamado quanto estes demais, é prejudicado pela data de lançamento.

Trama Fantasma, Dunkirk, e O Destino de uma Nação são altamente improváveis. Uma vitória para The Post provocaria uma reação de negatividade de proporções verdadeiramente bíblicas diante do desperdício do prêmio em uma opção tão genérica num ano com tantos filmes incríveis.

Outras categorias

Viva – A Vida é uma Festa ganha na categoria de melhor animação esmagando qualquer possível concorrência. Blade Runner 2049 e Dunkirk duelam em um conflito titânico por melhor cinematografia. Se A Forma da Água está concorrendo em alguma categoria aqui, está ganhando.

Sobre o Autor /

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Start typing and press Enter to search